08 julho 2008

por incrível que pareça...perdi minha "felicidade clandestina".
não sei onde deixei. onde se perdeu.
simples assim...perdida...
será isso um sinal?
será Clarice?

11 comentários:

Juan Carlo Moravagin disse...

Tabacaria de Fernando Pessoa.

Jana disse...

a felicidade é só momentos, daqui a pouco reaparece, vc vai ver, ela adora brincar de esconde-esconde

beijo

drika4ever.blogspot.com disse...

a felicidade sempre encontra a gente, não adiante se esconder... rsrs


bjos

Pedro disse...

De repente você não a perdeu, ela só saiu da clandestinidade. rs

J.R. Lima disse...

Se era clandestina mesmo, deve estar escondida em algum porão, assustada, coitada. Talvez se deixar e procurá-la, ela apareça de quando em quando.
Ou, vai ver que o Pedro tem razão e ela resolveu vir a público!

Dauri Batisti disse...

Acho que fellicidade é sempre clandestina exatamente por desaparecer e aparecer, ir e vir.

Sir Fart disse...

A poetisa que mora dentro de você?

Mariah disse...

juan:
hã???

jana:
já procurei em todo canto...


drika:
então devo ficar quietinha e esperar?

pedro:
será que minha felicidade se assumiu...e não sumiu?

j.r.lima:
tenho medo de porões...

dauri:
será?

sir fart:
a poetisa que morava dentro de mim já foi despejada faz tempo...hoje mora uma louca com ares de cinismo e depressão.

Juan Carlo Moravagin disse...

Procure um poema que se chama Tabacaria é do Fernando Pessoa

Anônimo disse...

juan...
procurei e encontrei...já li. agora só falta entender...prometo me esforçar!

mariah

Anônimo disse...

Vai ver que foi anistiada e saiu da clandestinidade... são os tempos, minha cara. são os tempos. bjs Lota