11 agosto 2008

"Os ovos establam na frigideira, e mergulhada no sonho preparo o café da manhã. Sem nenhum senso de realidade, grito pelas crianças que brotam de várias camas, arrastam cadeiras e comem, e o trabalho do dia amanhecido começa, gritado e rido e comido, clara e gema, alegria entre brigas,
dia que é o nosso sal e nós somos o sal do dia,
viver é extremamente tolerável,
viver ocupa e distrai, viver faz rir. "
(O ovo e a galinha - Felicidade Clandestina - Clarice Lispector)

18 comentários:

Vanessa disse...

E esse cotidiano apesar de nos cansar, de nos stressar e querer jogar tudo para o alto...
É essencial à vida, e sem esses acontecimentos não teríamos histórias pra contar, momentos pra lembrar e trincar de rir!

Beijos e Boa Semana!

pedro disse...

Você não vai acreditar na coincidência. Esse foi exatamente um dos livros que eu comprei na sexta. rs

Pedro Favaro disse...

Viver tem esse efeito...
faz agente esquecer da vida:-)

Bianca disse...

Clarice é sempre Clarice...
LINDO!
Bjs com açúcar...

Estava Perdida no Mar disse...

Viver é sempre muito divertido, mesmo por vezes sendo perigoso, mas com crianças por perto tudo fica tão mais legal....rs
Beijos

Márcia(clarinha) disse...

Que delícia viver e rir rir e viver rindo...

lindo dia, flor
beijos

Juan Carlo Moravagin disse...

Hoje eu sorri, fazia tempo que não sorria, hoje ri como Rebelais e não como Voltaire!

Espero sua visita no Rembrandt.

até

Anônimo disse...

Clarice combina com a Casinha de Mariah.
Beijos,
Cam
cameliadepedra.blogspot.com

Tata disse...

Clarice... sempre esse dom de aquecer o coração.

Lisa disse...

Ocupa e distrai?
Tudo o que eu preciso...
tipo.. férias de mim...
bj

Old Bird disse...

bacana heinm.....Lispector sempre muito bom...

viver....viver bem e traquilo seria bem melhor, sem dores e preocupações....
sei lá...to chato hoje!!!

bjuuus

Mago disse...

Olá! Minha cara Mariah, venho pedir-te minhas humildes e sinceras desculpas, estive olhando os comentários que recebi desde que meu lay out novo foi colocado no ar, os mais antigos se perderam e com eles muitos amigos que passaram por lá. Li alguns de seus comentários e peço desculpas por tão tardiamente retribuir suas visitas e colocá-la em fim no meu blogue como link. EU andei mesmo sem tempo e sem poder fazer o que mais amo, visitar blogues bons e inteligente como o seu. Estou ainda sem internet em casa o que dificulta ainda mais... Mas tudo bem, espero que aceite minhas desculpas. Eu amo Clarice Lispector, a escrita e os sentimentos através dela nunca serão os memsopara quem a conhece. Um grande abraço e tudo de bom! Voltarei sempre que puder...

Alex Pinheiro disse...

Até Clarice! rs

Bjs e reproduzidas invenções!

Rico B. disse...

Tinha de ser Clarice para dar um ar de normalidade a essa vidinha medíocre que a gente insiste em levar adiante. nada de "end lines", mas de tentativa do novo. tá faltando isso no cinema. *rs

F. S. Júnior disse...

só Clarice pra descrever uma cena comum assim com tanta poesia... crianças que brotam das camas... ótimo

Janaina Staciarini disse...

Sou louca por Clarice. Adoro, adoro.

ocasodoacaso disse...

Viver faz chorar também.

Julia Porto disse...

Obrigada Mariah! Viva los trintanos!

beijos mil!