04 agosto 2008

"A preguiça nesse sentido não é o ócio, mas seu momento negativo, pejorativo. Assim como o negócio é a negação do ócio, mas num sentido positivo, a preguiça é a negação do ócio num sentido pejorativo. Por isso é possível dizer que a preguiça é autoritária, porque ela é fechada, não deixa espaço para as novidades da vida, para outros olhares, para a aceitação de novas potências. Se há segredo em conviver com a preguiça nossa de todo dia, ele está na possibilidade de saber sua diferença com o descanso necessário ou a afalta de desejo pela vida e suas possibilidades. É muito bom não fazer nada quando isso é uma escolha, mas não é nada bom ser escravo da própria impotência." (Revista Vida Simples - Maio 2008 - Me dá preguiça - Márcia Tiburi)

7 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Adoro a Márcia Tiburi!

Bjs

PULCRO disse...

Morro de preguiça constante.


http://pulchro.blogspot.com/

Lisa disse...

show mariah!
Baita texto. Curti. Difícil não se acomodar, mas vale muito...

Pedro disse...

Minha preguiça é uma escolha! =]

Lisa disse...

Mariah, adorei seu coment lá no blog. A pesar de nossos dizeres estarem muito próximos, neste caso, adorei o "lado" que vc viu... bj e obrigadíssimo.
ai que preguiça...ehehehe

Anônimo disse...

Não sei se tenho problemas...rsrs mas não tenho preguiça...pelo contrário...o ócio me estressa...

Bj

Vanessa Cordeiro

dZ disse...

interessante esse conceito...

me so: é prazer se eu faço porque quero e tortura se me obrigam...

sei la, talvez eu so esteja implicando com a natural "revolta" da impsição.

mas ja me chamaram de "poliana" hoje...