20 agosto 2008

"A verdade é que não se sobrava tempo para estudar. As alegrias me ocupavam, ficar atenta me tomava dias e dias; havia os livros de histórias que eu lia roendo de paixão as unhas até o sabugo, nos meus primeiros êxtases de tristeza, refinamento que eu já desbrira; havia meninos que eu escolhera e que não me haviam escolhido, eu perdia horas de sofrimento porque eles eram inatingíveis, e mais outras horas de sofrimentos aceitando-os com ternura, pois o homem era o meu rei da Criação; havia a esperançosa ameaça do pecado, eu me ocupava com medo em esperar; sem falar que estava permanentemente ocupada em querer e não querer ser o que eu era, não me decidia por qual de mim, toda eu é que não podia; ter nascido era cheio de erros a corrigir." (Os desastres de Sofia - Felicidade Clandestina - Clarice Lispector)

11 comentários:

Camilla Tebet disse...

Que delícia ler de Clarice. Ainda mais por aqui, com as letras pequenas, a calma do branco e a cor da foto tema do blog. Foi gostoso.

Soraya disse...

Também adoro Clarice Lispector ... as alegrias também me ocupam nessa fase.

Vanessa disse...

Faz dias que quero escrever sobre o tempo. Em especial o tempo que não tenho para escrever sobre tempo. Como diria Macy Gray I want a moment to myself....

Márcia(clarinha) disse...

Ai, ai, esse eterno querer, correr contra tempo, o não decidir...

Clarice sabia tudo, tudo.

lindo dia,flor
beijos

Pedro disse...

Ah, Clarice... Impossível não gostar de ler.

Pedro Favaro disse...

vc me convenceu.
Vou na próxima livraria atrás desse.

Rico B. disse...

clarice me vira de avesso fácil, fácil...

Dani disse...

"nos meus primeiros êxtases de tristeza"... e eu que nem li esse livro...

Vanessa disse...

"havia meninos que eu escolhera e que não me haviam escolhido, eu perdia horas de sofrimento porque eles eram inatingíveis..."

Parece minha vida...

Beijos e Boa semana!

Tata disse...

e todas temos nossos desastres, não?

cameliadepedra.blogspot.com disse...

Que texto mais gostoso.
Beijos!