19 agosto 2009

extraído (ou chupado) do livro...Mania de Explicação de Adriana Falcão
"Dedicatória é quando todo o amor do mundo resolve se exibir numa só frase:
Filósofo é quem, em vez de ver televisão prefere ficar pensando pensamentos.
Irritação é um alarme de carro que dispara
bem no meio do seu peito.
Solidão é uma ilha com saudade de barco.
Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.
Lembrança é quando, mesmo sem autorização,
o seu pensamento reapresenta um capítulo.
Autorização é quando a coisa é tão importante que só dizer
"eu deixo" é pouco.
Pouco é menos que metade.
Muito é quando os dedos da mão não são suficientes.
Desespero são dez milhões de fogareiros acesos
dentro da sua cabeça.
Preocupação é uma cola que não deixa o que não aconteceu ainda sair do seu pensamento.
Ainda é quando a vontade está no meio do caminho.
Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.
Dificuldade é a parte que vem antes do sucesso.
Sucesso é quando você faz o que sabe fazer
só que todo mundo percebe.
Antes é uma lagarta que ainda não virou borboleta.
Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer,
mas acha que devia querer outra coisa.
Certeza é quando a idéia cansa de procurar e pára.
Intuição é quando o seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.
Ansiedade é quando faltam cinco minutos sempre
para o que quer que seja.
Raiva é quando o sentimento que mora em você
mostra os dentes.
Tristeza é uma mão gigante que aperta o seu coração.
Alegria é um bloco de carnaval que não liga
se não é fevereiro.
Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.
Desculpa é uma frase que pretende ser um beijo.
Gostar é quando acontece uma festa de aniversário
no seu peito.
Amor é um gostar que não diminui
de um aniversário para o outro.
Não. Amor é um exagero...
Também não. É um desaforo...
Uma batelada? Um enxame, um dilúvio,
um mundaréu, um insanidade, um destempero, um despropósito,
um descontrole, uma necessidade,
um desapego?
Talvez porque não tivesse sentido,
talvez porque não houvesse explicação,
esse negócio de amor
ela não sabia explicar,
a menina."

5 comentários:

du disse...

.ah esse amor.

.um milhão de palavras, pensamentos, sentimentos, sorrisos, dores, sangue, lágrimas.

.abraço.

Mågø Mër£Îm disse...

Será que alguém sabe explicar o amor?

Juan Carlo Moravagine disse...

A simplicidade de um sorriso, de um olhar...

Ciça Lize disse...

Nossaaaa amei isso!!! Essa casinha continua aconchegante!bjssss

Carol Rodrigues disse...

Aiiii eu sou doida nesse livro!
Sou fã da Falcão, queria muito esse livro!
Eu tenho o Pequeno Dicionário de Palavras ao Vento que é lindo! Esse aí ainda me falta *-*