12 novembro 2009

repostagem...
"...Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo..."
"Naquela época" seus sonhos nasciam de pedacinhos de carvão nas tábuas antigas da casa simples...Séculos mais tarde, depois de você e de mim, sangue do seu sangue viaja em papel reciclado e lápis de cor Faber Castel ...
Morde os lábios e aguça o olhar. Cabeça apoiada na mão esquerda (contra a minha vontade, você nasceu destra) numa postura limite entre o cansaço e o devaneio busca as cores dos seus sonhos.
Casas que "não tinham teto, não tinham nada"... "peixes vivendo fora da água fria".
Os Moais da Ilha da Páscoa são registrados a espera de uma conclusão ..."será que foram mesmos os extra terrestres?"Veleiros em alto mar. Estradas com faixas amarelas. Pontes e lagos.
Sol, chuva e arco-íres..."não tem problema né?"...barbatanas e nadadeiras coloridas, sol amarelo com raios cor de laranja, balanço feito de pneu..."p mudo, engraçado"..."gente não devia ter queixo nem nariz...é muito feio", "cor de pele"...todas as peles têm a mesma cor? ... o irmão cada vez mais distante, árvores híbridas dão maçãs e nozes..."são para os esquilos". Ninguém deveria viver sem um lápis cor de rosa...
Outros admiram de longe. Não conseguem nadar nos nossos mares, subir nas nossas montanhas, viajar nos nossos dirigíveis.
Lá estão suas obras de arte, afixadas com imãs na geladeira.

8 comentários:

Renata disse...

de fato, ninguém deveria viver sem um lápis cor-de-rosa... dá licença que vou ali procurar o meu, acho que andei perdendo pelo meio do caminho.

Anônimo disse...

que delicia de escrita e reticencias, tá cada vez mais gostoso encontrar maria...estou encantada
"Olha maria eu bem que queria fazer-te uma presa da minha poesia, desculpe maria pra minha surpresa pra minha tristeza precisas partir... parte maria que estais tão aflita que estais tão bonita pra me abondonar. Parte maria, seu corpo se agita querendo dançar..."Conheçe essa música do Tom? Nas coisa do Z deve ter...Ando sem o café, apenas com afeto e a preocupação do coração da mãe. saudades C.

J.R disse...

Que gostoso esse texto, singelo, confusão de idéias como a cabeça dos pequenos, dúvidas quanto a cor certa. Adorei.

Fiz um texto em Maio deste ano, sobre lápis de cor. Achei que se parece muito com este aqui.

http://phalador.blogspot.com/2009/05/cores-reais.html

[Concordo com fazer algo melhor às 03h...rs].

Andréia A disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andréia A disse...

Bom dia querida!!
Primeiramente muito obrigada por sua presença la no meu blog.
Sinta-se a vontade de voltar qud assim desajar.
Ah que saudades do desewnho no papel , da simplicidade de um tempo que passou ..
Era tudo tão mais simples mas singelo....

Beijos

Adolfo Payés disse...

Un placer pasar por tu blog.. me gusto mucho, es acogedor.. te sigo. para poder leerte con mas frecuencia..

Un beso..

Un abrazo
Con mis
Saludos fraternos..

Mågø Mër£Îm disse...

Sempre que se pode colorir as coisas, tudo fica melhor... a vida atualmente anda mto monocromática

um beijo

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

A primeira música que cantei no meio da sala pra todo mundo escutar foi "Aquarela".

Texto singelo!

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-