15 julho 2008

bebi uma taça de vinho...ok, um "pouquinho" mais que uma taça na verdade. Carmenère delicioso numa das taças (de um jogo de 6) que ganhei da melhor amiga que uma mulher poderia ter .
Quanto bebo me dá vontade de escrever. Se eu fosse uma escritora, isso se chamaria "inspiração"...para mim, o nome é "irresponsabilidade".
Escrevo por impulso, muitas vezes como falo ...tantas vezes por impulso. Não preparo o tema, não pesquiso, não consulto no dicionário a grafia correta das palavras (isso vocês já devem ter percebido por aqui). Não tenho paciência para procurar a fotografia certa, quando encontro alguma boa, nunca coloco a fonte (o que considero um erro imperdoável).
Quando bebo a coisa fica mais séria, ocasionalmente acabo perdendo o pouco de censura que me resta...e acabo sendo...irresponsávelmente "reveladora"....sinto que hoje será uma dessas situações, para o bem ou para o mal.
Estou sozinha, fato tão raro e desejado. A sala com quase 30 metros é pequena para a solidão que tanto desejo. A TV exibe "E o Vento Levou"...minha taça (o presente da prima-amiga) anda comigo pela casa...escura e silenciosa...como deve ser a solidão.
Há 20 anos eu já via "E o Vento Levou" (visto que, na época eu tinha 16 anos de idade, isto pode ser considerado normal?). Foi nessa época que, sabe lá Deus o porquê, o filme se tornou um dos meus favoritos. Minhas amigas assistiam "Dirty Dancing" e eu queria ver Scarlat dizendo "eu nunca mais passarei fome"... Naquela época os mais observadores já viam em mim indícios de uma mulher...que não seguiria pela estrada da normalidade.
Há 20 anos eu não imaginava minha vida como ela é hoje, não planejei nada disso...talvez nem conseguisse imaginar uma vida tão boa assim. Eu, numa terça feira com uma taça de vinho e cheiro de canela numa sala vazia com uma parede vermelha e solidão.
Não, eu não tenho dinheiro. Tenho mais dívidas do que poderia pagar, consumo mais do que deveria e menos (muito menos) do que gostaria...gosto sim de coisa boa, e daí?
Já tenho meus 36 anos, uma carreira estressante e interessante, promissora se não acabar comigo antes, muitos "conhecidos", alguns amigos.
Vejo nas realizações de Maria os meus próprios sonhos sendo realizados e tenho muito medo das suas inseguranças. Gostaria que ela não tivesse medo de nada, mas tenho consciência dos medos que tantas vezes eu tenho (até hoje) .
Hoje vivo a "verdade libertadora" que não almejei mas que me é tão bem vinda. "Reapaixonei-me" pelo primeiro homem da minha vida e hoje revivo uma história de amor. O melhor amigo, o melhor marido e o melhor amante...
Gostaria de ter alguns quilos a menos, algumas horas a mais para mim. Gostaria de ter uma memória melhor para nomes, datas e números, e uma memórias pior para todas as outras coisas.
Minha vida é feita de uma rotina maravilhsosamente gostosa...amanhã tenho que comprar cenouras, cheiro verde e cebola...
Acho que o saldo é positivo!

20 comentários:

Tina disse...

Oi Mariah!

Que texto lindo,suave, verdadeiro. Parabéns, gostei demais.

Carmenere é meu predileto também, excelente escolha.

beijos, tenha um ótimo dia.

Jana disse...

Sou igualmente anormal então, porque sempre preferi E o vento levou... rsrs

Sabe, acho que sim, no final o saldo é positivo, pois revive essa história, pois se assume gostar de coisas boas e assume os transtornos que isso te traz. Porque de certa forma a solidão não me parece te atormentar e uma taça de vinho é sempre uma boa companhia.

beijo

Anônimo disse...

só não vai quebrar a taça e deixar vinho pingar na parede nova...peloamordedeus. sua vida é ótima baby, ÓTEMA. beijo Lota Lorota

Artsy-Fartsy disse...

Olha, para quem escreve sem pensar, sob a égide de uma dita irresponsabilidade,este texto dá muito o que a gente elocubrar.
Abraços fortes!
p.s.: não se espante, que sou eu, mesmo, o Fart.

Kelly Jessie disse...

Que texto gostoso de ler Mariah...

Gostei!


;)

Kelly

camille disse...

Sua vida parece estar muito boa mesmo. Quando se toma vinho em geral as pessoas ficam melancolicas e voce nao, esta comemorando a vida que tem. Que otimo! Seu texto é lindo.
Beijos,
Cam ( a Clarinha me indicou seu blog)

Mariah disse...

camille...não consigo encontrar seu blog.
gostaria de retribuir a visita.
beijos
mariah

Dani disse...

Eu adoro esses textos bêbados, eles têm uma cadência característica...

Sandra disse...

Mariah... que lindo! Adorei viu! Meus olhos estão cheios de água! Marejados, o que poderia escrever para vc, hein. Vc disse tudo e de forma tão bela.
Viva somente! Brinde os novos acontecimentos, as novas oportunidades! Se permita! Desejo que seja feliz! E olha... o seu último comentário lá, está rendendo um debate! hehehe Passa lá depois! super beijo,

Tata disse...

adorei essa tua escrita liberta. adorei saber mais de você, te desvendar um tantinho. obrigada.

Carmim disse...

A mim só me ocorre sugerir que escrevas sempre que bebes uma taça de vinho... Gosto dessa liberdade da escrita, e o texto ficou óptimo.
Sinceridade a transbordar em cada palavra!

Um beijo.

Lisella disse...

Me apaixonei a primeira vista pelo teu blog. E sobre o que vc escreveu lindamente neste post, vou dividir contigo o melhor conselho que eu já recebi: seja mais irresponsável.
bjs

Grazielle disse...

Continue assim... irresponsável!

Todos nós leitores agradecemos!

:*

Ana Luisa disse...

Ahh Mariah, vc é maravilhosa!!!!
Será que sou anormal tb? Tenho 28 anos e gosto de O Vento Levou..rs.
Vinho, rotina gostosa...isso é muito bom.

Ó, obrigada pelo seu comentário..suas palavras mexeram comigo. me motivaram a mudar as coisas.

Adoro vc. Beijos.

F. S. Júnior disse...

é sempre para o bom... delicioso o texto... adorei o final... o amanhã preciso comprar cenouras, cheiro verde e cebola... gostei disto... é bom quando a gente se dá conta q a vida da gente é boa assim... gosto destes momentos...

Vanessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jaque Lima disse...

sempre achei que não era comum. mas ao mesmo tempo pensava que as outras pessoas é que fossem de outro planeta. hoje também revivo meu primeiro amor. e acredito ser o último. e a vida. ah!. quando se fala em vida. não sei do que ese trata. uma comemoração é sempre bem-vinda. uma história reveladora. é sempre um desabafo maior. a solidão deveria ser menor. o estar só até que poderia ser bem-vindo. e as paredes que continuem coloridas!

gigi disse...

" Há 20 anos eu não imaginava minha vida como ela é hoje, não planejei nada disso...talvez nem conseguisse imaginar uma vida tão boa assim. Eu, numa terça feira com uma taça de vinho e cheiro de canela numa sala vazia com uma parede vermelha e solidão. "

como sempre seus textos deixam um ar de simplicidade com uma a pitada de bom humor, e uma tonelada de pensamentos e reflexões que nos deixam pasmas, como isso surge com o vinho.
obs: vou começar a mudar a cerveja pelo vinho....

Gracyelly disse...

Maria, seu saldo é positivo sim! Adorei o texto, o desabafo. Beba mais vezes mulher! Aos 36 quero estar bem assim como vc! Torça pra q meus próximos 10 anos continuem bons como tá, não, q estejam muito melhores, assim como torcerei pra seus próximos 10!

Sentimental ♥ disse...

LINDO.
Adorei, por aqui conheci um pouquinho de vc, o suficiente pra querer mais....
beijos