04 fevereiro 2009

Teias de aranha no triste encontro das paredes.
Dobradiças chorando.
Cadeados enferrujados e correspondências envelhecidas espalhadas no quintal.
Vasos vazios e plantas mortas de sede.
Móveis que dormem sob panos empoeirados.
Cheiro de casa de veraneio.
A "Casinha" virou quarto de bagunça...arquivo morto.
Armário que a gente tem medo de abrir e começar a mexer.
Saí pensando que voltava em breve,
não deixei placa nem bilhete.
Acabei me perdendo entre e mails práticos e extratos bancários.
Visitantes vieram, voltaram...estranharam...um dia deixaram de bater e não voltaram mais.
A pintura da fachada tem ar desbotado.
Anceio pelo dia da volta. Quando? Pois é!
Vou abrir janelas. Despertar uma poltrona e colocá-la numa fresta de sol.
Com Clarice no colo....vou voltar para a Casinha.
Quem sabe coar um café fresquinho?

3 comentários:

du disse...

Mariah....q saudades!

...voltei aqui e pensei q vc tinha nos abandonado!!

...vamos arejar a casa, abrir janelas, deixar a luz bater e sorrir....sentir o cheiro de café e aquele bolinho de vó..rsrsr...

...e continuemos as conversas....

..bj...e bem-vinda de volta!

Juan Carlo Moravagine disse...

Gosto de forte e com pouco acúcar!

dZ disse...

tem cocacola, serve? :P