30 abril 2010

na ponta dos pés
Yara atravessa o quarto escuro
acaricia os cabelos
e chora baixinho
sobre o rosto da irmã em agonia
a morte é sempre tão silenciosa
como a chama de uma vela
que simplesmente e silenciosamente
um dia se apaga......

9 comentários:

Marcelo Mayer disse...

e deixa de existir

Marcelo Mayer disse...

literalmente

Daniel disse...

Triste, justamente por deixar de existir aqui, onde podemos tocar, conversar, ter por perto.
Beijos

Vivian disse...

...e pensar que prestamos
atenção nela somente quando
a espreitamos rondando os
nossos amados, e assim passamos
a vida dia por dia um pouquinho
à sua mercê.

bj, bonita!

Sentimental ♥ disse...

por isso não gosto de velas...

Juan Moravagine Carneiro disse...

...Mas a lembrança de seu brilho sempre nos acompanha...!

J P F O X disse...

Este post é muito parecido com o comentário que fez em meu blog. Espero que não esteja sentindo-se que morre aos poucos. Na verdade todos nós estamos morrendo aos poucos, mas devemos viver cada momento intensamente, pois ainda estamos vivos. Fiquei muito sensibilizado com o que você escreveu.
Abraços. Fique com Deus.

Menina Misteriosa disse...

triste, real... temos que estar preparados para quando a luz se apagar...
beijo!

Felipe A. Carriço disse...

A vida é como a chama de uma vela, que se não apaga, acaba.