07 março 2007

Escher

Uma das principais contribuições da obra deste artista está em sua capacidade de gerar imagens com impressionantes efeitos de ilusões de óptica, com notável qualidade técnica e estética, tudo isto, respeitando as regras geométricas do desenho e da perspectiva. A partir de uma malha de polígonos, regulares ou não, Escher fazia mudanças, mas sem alterar a área do polígono original. Assim surgiam figuras de homens, peixes, aves, lagartos, todos envolvidos de tal forma que nenhum poderia mais se mexer. Tudo representado num plano bidimensional.
Destacam-se também os trabalhos do artista que exploram o espaço. Escher brincava com o fato de ter que representar o espaço, que é tridimensional, num plano bidimensional, como a folha de papel. Com isto ele criava figuras impossíveis, representações distorcidas, paradoxos.
Texto extraído de www.wikipedia.org ... quem ainda nao viu...deveria...
Escher é a prova viva de que, sempre, sempre, sempre, existem vários pontos de vista para a mesma imagem. Nunca uma história é a mesma, contada por duas pessoas diferentes. Quando o quadro que eu vejo não está legal, viro o quadro de ponta cabeça e ... tento ter uma visão diferente. As vezes funciona. As vezes piora.

Nenhum comentário: