29 maio 2008

Egon Schiele

"Egon Schiele (1890 - 1918), austríaco e expressionista. Em 1907, Schiele conheceu Gustav Klimt que, interessado no seu trabalho, fez dele o seu "protegido". Ajudou-o comprando os seus trabalhos, apresentando-o a pessoas influentes, arranjando-lhe modelos, entre outras coisas. Liberto do conservadorismo, começou a explorar mais a forma humana e também a sexualidade. Este grande representante do expressionismo austríaco deixou trabalhos onde estavam a representados seres humanos transfigurados por sentimentos fortes implícitos no seu traço, amantes revirados em amontoados de lençóis brancos, diversas mulheres posando para ele e auto-retratos provocantes mostrando a sua visão de si (provavelmente), assim como também fez algumas paisagens e residências burguesas, nos quais exibe um estilo cuidadoso e elegante, de traços bordados, com fortes contrastes entre ocres e cores primárias. (Wikipedia) "
Impossível não se incomodar diante de tanta coisa ainda desconhecida. Sentimento de impotência perante o fato de nem saber o quanto ainda há por saber. Livros a ler, a entender. Temperos a provar, destinos a explorar.
Mariah

15 comentários:

Mr. Fart disse...

E sonhos a sonhar!
Abraços fortes!

Camilinha disse...

Não é incômodo... é ânsia!!! e acho que no fundo é bom, caso contrário, ainda estaríamos sendo puxadas pelos cabelos pelos maridos macacos...rs


as pinturas me lembraram as de um amigo, passa lá e me diz o que acha:

www.rianfontenele.com.br


beijos daqui...

DO disse...

Impotencias,expectativas,conformismos...ta tudo assim.
Beijos!

Carmim disse...

E mesmo que nada tenha a ver, isso lembrou-me de novo a palavra chave do meu post: expectativa!
Mas mesmo estando emaranhada, acho o teu conselho bastante sábio e estou a tentar ter a tal paciência e calma.

Um beijo.

Jana disse...

Muito interessante , mas não me incomoda, me anseia.

beijo

doloridocolorido disse...

eu me incomodo com a falta de ócio, pra ler e ver tudo que desejo
beijos Mariah

Juan Carlo Moravagin disse...

pessoas a conhecer

Old Bird disse...

que liugarzinho bacana esse blog..gostei muito do que tenho lido por aki..
Muito obrigado por sua visita ao velhas palavras, volte sempre.
.....destinos a explorar, sabores a degustar....
muito bom!!!


see you!

Pavón disse...

Por que nos incomodar com a certeza que temos tanto a saber? Tanto a conhecer? Tanto a compartilhar?
Devemos ficar felizes e ávidos por todo esse conhecimento que desejamos devorar...
Se conhecessemos tudo, a vida nao teria cores... o novo, o desconhecido, o surpreendente que faz da vida uma eterna e nova descoberta...

Beijosss

PS: E eu adoro vir aqui, sempre uma surpresa nova, sempre algo diferente, sempre algo desconhecido e surpreendente para se conhecer!! =)

Sabrina disse...

será? essa ansiedade muitas vezes acaba comigo! por isso que uma das minhas metas é aprender a meditar (e conseguir esvaziar minha cabeça cheia de pensamentos e quereres).
beijos!!

Pedro Favaro disse...

Acabou de resumir minha maior insatisfação. Tanta coisa pra fazer...TANTA COISA. Quero muito fazer tudo, provar tudo ( quase tudo..hehehe) viver tudo...

Amei sua frase!

Pedrão

M. Nilza disse...

Mas, o desconhecido nos busca para a realidade. Nele nos encontramos e até somos felizes..!!

beijos

du disse...

.a poesia da vida é a incerteza do amanhã.

.isso que provoca o desejo, a dor, o riso, as lágrimas.

.e o pacote inclui crescer, conhecer, amadurecer e enfim, uma felicidade a cada minuto ou uma eternidade de incertezas.

.e vida sem horizontes futuros. pra que né?

.beijos.

Dani disse...

ADORO KLIMT
VOU DAR UMA PESQUISA SOBRE ESTE SEU PUPILO E PROTEGIDO
BEIJOS MARIAH

FAXINA

Diannus do Nemi disse...

.

Esse expressionismo boêmio me lembra um pouco o trabalho de Henri Toulouse-Lautrec, conhece?

Uma boa dica!

Tens bom gosto.

Abração,
Diannus.

.