06 junho 2008

familias felizes ou não

Observando o comportamento das famílias do condomínio, a personagem principal da história comenta:
"Todas as famílias felizes se parecem, mas as famílias infelizes o são cada uma a seu jeito é a primeira frase de Ana Karenina...."
em..A elegância do ouriço

10 comentários:

F. S. Júnior disse...

condominios, embora não seja este o ponto principal do teu post, mas de todo modo, condominios são coisas estranhas e engraçadas... é o exercício diário de conviver com o alheio. =D

Anna Flávia disse...

ah, eh verdade. faz sentido.

Juan Carlo Moravagin disse...

é interessante a questão social da arquitetatura.

Nadja Reis disse...

Interessantíssimo! bjosss

Soraya disse...

Minha família é estranha... as famílias das portas de todos os lados também o são....

Mike disse...

a infelicidade é uma forma de sair da mesmice... do estado zen de tranquilidade... claro que nem sempre é a melhor forma (talvez!)

abraço
saudade
apareça lá no além...

mike

Aline disse...

Felicidade nem precisa de justificativa, mas qdo há infelicidade, existem mtos motivos, por isso, mtas justificativas!

bjm

du disse...

.não há nada mais óbvio e cheio de surpresas do que família.

.de um lado, não há nada mais explicativo do que o ditado "mãe só muda de endereço".

.de outro, existem os inúmeros pormenores que tornam esse núcleo, uma novela sem fim, mexicana, claro.

.muitas famílias felizes vivem uma hipócrita fantasia. algumas pessoas enfrentam guerras ao amanhecer e bandeiras brancas quando a noite cai. grande parte das que conheço vivem cotidianamente bem. sem grandes sustos, sem grandes felicidades, assim, na amenidade.

.o engraçado é que, independente qual tipo for, no final, essas são as pessoas as quais você recorre. e por mais desastres que tenham ocorrido, há algo de extraordinário nessa relação que concede forças além do possível, para que dê certo. talvez seja a coisa do sangue. ou de almas, que por um motivo certo, nascem com uma relação já estabelecida. para o bem ou para o mal.

.abraço.

Mr. Fart disse...

Ah, Mariah! Você nem imagina o tanto que esta frase sempre me tocou o coração. Muito, muito mesmo. E o desenrolar do livro, então?
Uffa!
Abraços fortes!

Pedro disse...

Taí. Vou procurar pelo livro. Gostei dos trechos que li por aqui.